Consumo Precoce

Voltar
  • Oportunidade de negócios

    Você se lembra de sua infância? Faça uma comparação com as crianças de hoje, seu comportamento e como elas interagem com o mundo. Grande diferença, não é mesmo? As crianças de hoje ficam mais sozinhas, têm menos amigos e companheiros de brincadeiras, muitas vezes transferindo as interações para o ambiente virtual.
    Tudo isso acaba por estimular a independência e, consequentemente, a manifestação da vontade, já que os pais não estão tão próximos para tomar a decisão por elas. Elas se tornam crianças precoces em diversos aspectos o que, consequentemente, reflete em sua relação com o consumo. Cada vez mais cedo elas decidem o que vestir, o que comer, até mesmo o destino onde a família passará as férias.
    Você, como empreendedor, deve ficar atento a essas mudanças. E aprender a fazer a leitura de como elas influenciarão a realidade em que vivemos. A partir do momento em que a criança participa da decisão de compra, o empreendedor deve entender que ela, juntamente com os pais, deve ser considerada em todo o processo de desenvolvimento e divulgação do produto.

    A seguir, relacionamos algumas sugestões de oportunidades para aqueles que desejam empreender no mercado infantil.

    • Empresa de festas infantis
      As festas infantis já não se resumem mais à decoração simples, bolo e balões. O mercado está se aprimorando a algum tempo, acompanhando o nível de exigência tanto dos pais quanto das crianças. Os estabelecimentos mais completos do ramo oferecem um pacote completo de opções de entretenimento: jogos eletrônicos e miniparques de diversões, animadores, fotógrafos etc. Esses espaços hoje reúnem no mesmo lugar (muitas vezes sob a forma de parcerias) todos os itens relacionados à festa, para melhor aproveitamento do tempo do cliente, aliado ao custo-benefício.
      Se o seu objetivo for um negócio desse tipo, ofereça alguma opção que o diferencie dos demais: recreadores especialistas em brincadeiras antigas; minifábrica de cupcakes (as crianças mesmo fazem seu bolo), ou uma experiência artística com telas, pincéis e tintas em que as crianças levem pra casa suas obras de arte.
      Não tem tanto capital, mas ainda sim tem interesse em trabalhar com festas infantis? Que tal se especializar em festas mais simples, sem perder de vista a qualidade. Existem famílias que não têm ou não querem gastar com uma festa completa em um salão de festas infantil, mas não abrem mão de fazer o aniversário das crianças e oferecer a seus convidados uma boa experiência. Eles fazem a festa em casa mesmo ou no salão de festas do condomínio. Você pode atender esse cliente se especializando em um ou mais desses produtos e serviços:
      - fabricação de bolos e tortas personalizadas, cupcakes, doces tradicionais (brigadeiros, olho de sogra, balas de coco) ou personalizados de acordo com o tema da festa;
      - fabricação de salgados, tortas salgadas sob encomenda;
      - aluguel de carrinho de algodão doce, crepes, pula-pula, brinquedos infláveis, piscina de bolinhas;
      - buffet infantil que atenda em casa, com cardápio diversificado em opções de salgados, pizzas, cachorros-quentes, oferecendo inclusive garçom;
      - serviço de recreação com contadores de histórias, palhaços, oficinas (pintura, massinha), som e DJ;
      - produção de lembrancinhas etc.
    • Salão de beleza infantil
      A expansão de mercado voltado à vaidade e estética para crianças é espantosa. Esse nicho tem se desenvolvido em grande parte, pela mudança de comportamento, no qual as crianças vêm antecipando valores comportamentais de adultos. O culto à beleza e a necessidade de expor aos amigos sua personalidade e preferências fazem com que as crianças fiquem mais exigentes.
      Para as crianças menores é um espaço com profissionais pacientes e treinados, com ambiente colorido, com temáticas infantis, cheios de brinquedos e cadeiras em formas diversificadas. As crianças cortam os cabelos se distraindo jogando videogame, brincando ou assistindo desenhos. O importante é deixar o pequeno cliente bem à vontade. E no mundo das meninas não pode faltar penteados e dia de princesa, além de manicure, pedicure e maquiagem. Além disso, a empresa pode oferecer a preparação para eventos especiais como casamentos e aniversários.
      Os profissionais devem ter jogo de cintura e estarem atentos às preferências dos clientes, já que como a tendência aponta, grande parte das crianças decide o corte de cabelo, a cor do esmalte, entre outras.
      Para agregar valor, o estabelecimento pode incluir itens para venda como fantasias, acessórios, tiaras etc. Além disso, vale também montar um espaço de recreação infantil com monitores para que eles possam brincar enquanto esperam.
      A demanda por esse tipo de serviço está aumentando, principalmente em regiões mais nobres, com grande quantidade de prédios novos. O público mais frequente está nas classes A e B.
    • Fabricação e comercialização de móveis infantis
      O empreendedor pode optar por fabricar e vender para lojas especializadas ou realizar a comercialização, terceirizando a produção. É um mercado promissor com móveis personalizados, coloridos e com temas que agradem as crianças, já que elas participam da decisão de compra do produto.
      Camas, mesinhas, cadeiras, baús e caixas para guardar brinquedos de tamanhos menores, na medida das crianças, feitos geralmente de MDF. As opções devem ser versáteis, apesar de pequenas. A mesa de estudos, por exemplo, pode ter um tampão para guardar livros e se transformar em uma mesa de almoço; o baú também pode servir como banco e a estante com seis caixas para organizar brinquedos. São pequenas soluções para a falta de espaço nos apartamentos modernos, que conquistam os filhos, mas principalmente os pais.
      Como diferencial no negócio, o empreendedor pode dar a opção de personalizar os móveis, como oferecer cores diferentes, de acordo com a preferência e a decoração já existente no ambiente a que o móvel se destina.
      Para esse tipo de negócio e público-alvo é interessante investir em um site na internet, para apresentar seu portfólio de produtos e fornecer opções de contato ou comercialização.
    • Loja de brinquedos educativos
      O brinquedo educativo é uma boa alternativa à grande exposição das crianças a televisão, computadores e videogames. Segundo a Associação Brasileira de Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), os brinquedos educativos são responsáveis por 20% do faturamento do setor.
      Fantoches, brinquedos à moda antiga, feitos de madeira ou tecido, projetados para estimular a criatividade e o raciocínio da criança. Com eles é possível ensinar as cores, as letras, geografia, melhorar a coordenação motora, até a amarrar o cadarço. Os maiores consumidores desses brinquedos são os avós que querem resgatar o universo lúdico das brincadeiras.
      O empreendedor pode buscar opções criativas que envolvam grupos e até mesmo momentos de contato com a família. A empresa pode oferecer oficinas pontuais, coordenadas por artesãos, para que as crianças fabriquem seus próprios brinquedos. Pode ser um momento de aproximação e divertimento entre pais e filhos. Uma forma educacional e divertida que traz maior qualidade à convivência da família, ensinando a criança a entender o tempo e as dificuldades envolvidas na fabricação e a dar mais valor aos presentes.
    • Outras oportunidades
      Alguns setores sempre têm espaço nessa tendência, como é o caso do vestuário e calçados que sempre necessitam de renovação, já que eles estão em fase de crescimento. Brinquedos e opções de lazer também são opções muito demandadas.
    • 1Diminuição da socialização entre crianças
      Nas gerações passadas, o número de crianças que convivia entre si era muito grande. Eles tinham a companhia dos irmãos, primos, vizinhos, coleguinhas de escola e outros mais. Hoje, a realidade mudou. As famílias diminuíram, muitos casais têm somente um filho, em muitas localidades a quantidade de crianças é limitada, reduzindo muito a sociabilidade entre elas.
    • 2Aumento da sensação de insegurança
      Isso faz com que o lar passe a ser o principal ambiente de suas brincadeiras e relacionamentos, reduzindo ainda mais a socialização dos pequenos com outros da mesma idade. Dessa forma, elas começam a passar muito tempo com adultos, de certa forma vivenciando uma realidade que não é sua e adotando alguns de seus padrões de comportamento cada vez mais cedo.
    • 3Mudança no papel da mulher
      Ela deixou a exclusividade do papel materno e foi trabalhar. As crianças ficaram sozinhas e tiveram que se virar mais cedo. A televisão acabou ocupando a lacuna, se transformou em companhia (Kakuta e Ribeiro, 2007).
    • 4Aumento do poder decisório na hora da compra
      Com todo esse contexto, o resultado é que, de acordo com a Macroplan, o público infanto-juvenil passa a ser um cliente potencial precoce ao estabelecer um padrão de consumo próprio e apresentar um alto poder de decisão de compra sobre o consumo familiar. De fato, o que se percebe nos últimos anos é que crianças e adolescentes estão ficando adultas mais cedo ou, pelo menos, assumindo hábitos de consumo mais precocemente.
    • 5Mudança do referencial para construção de valores
      A televisão tem sobreposto os meios de educação e os momentos de diálogo familiar, influenciando os referenciais dessas crianças, já que muitas vezes elas ficam expostas à sua programação e propagandas durante muitas horas por dia (crianças de 4 a 11 anos assistem quase 5 horas por dia, segundo painel do Ibope). Segundo a especialista em comportamento do consumidor, Tânia Limeira (2008) existem pesquisas que demonstram que no decorrer dos anos as crianças trocaram a professora e a igreja por outros modelos de identificação e referências como atletas, celebridades, artistas de televisão e cinema. A mídia tomou muito espaço na construção de valores. Outro fator de referência que vem perdendo o espaço é a escola, que muitas crianças têm visto mais como local de encontro com amigos do que de aprendizagem e meio de inserção no mundo do trabalho.
    • 6Acesso à tecnologia cada vez mais cedo
      As crianças entram em contato com a tecnologia cada vez mais cedo. O impacto da tecnologia sobre esse público é muito forte. Assim, a televisão, o computador pessoal e o telefone celular consistem em poderosos canais de comunicação que disseminam novos comportamentos e estimulam o consumo.
    • 7Falta de tempo dos pais
      Eles procuram compensar essa falta de tempo com presentes e pequenos agrados.
  • Você Sabia?
    Muitos produtos de consumo dirigem seus investimentos de marketing para o segmento de jovens, porque é nessa fase da vida que são adquiridos novos hábitos, novos valores e estilos de vida, que tendem a permanecer ao longo da vida adulta. Portanto, os profissionais de marketing desejam que os jovens formem preferências ou adquiram o hábito de consumir seus produtos e marcas (tânia maria vidigal limeira, em seu livro comportamento do consumidor brasileiro, 2008).
    • O seu produto está de acordo com o que seu cliente quer? Muitos empreendedores ainda desenvolvem produtos pensando somente nos pais ou responsáveis que desembolsam o pagamento dos artigos comprados. Você não pode ignorar os pais, mas é importante você considerar o gosto das crianças e adolescentes. A maior influência das crianças, na decisão de compra, ocorre quando elas são as próprias usuárias, como na compra de balas, chocolates e brinquedos, ou quando estão diretamente envolvidas, como na decisão sobre o local das férias. Quando as crianças possuem mais informação do que os pais, como no caso de aparelhos eletrônicos e computadores, as crianças podem exercer maior influência na escolha. Elas podem influenciar também na escolha das cores, estilos, modelos e marcas de alguns produtos.
    • O principal para se conseguir inovar em qualquer segmento é observar o público-alvo e verificar o que ele nem sabe que precisa. Assim surgem os novos negócios. Confira alguns tipos de negócios para crianças que não existiam há alguns anos: brechós infantis, higienização e aluguel de bebê conforto e carrinhos de bebês, suporte para sorvete (não suja as roupas das crianças) etc.
  • Idéias de Negócios

    Veja aqui algumas idéias de negócios com grande potencial para Goiás, conforme o Estudo de Tendências e Oportunidades de Negócios produzido pelo Sebrae.

    Para cada idéia serão apresentados conceitos e informações relativas a processo produtivo, mercado, marketing e vendas, canais de comercialização, estrutura, localização, equipamentos, tecnologia, necessidade de pessoal, custos e capital de giro, fonte de recursos, planejamento financeiro, legislação, cursos, eventos e sites com informações de interesse do empreendedor.

    Selecione e receba em seu e-mail ou envie à um amigo as idéias de negócios que lhe interessar.

    Lembre-se, decidindo em abrir a sua empresa ou desejando expandí-la, procure o Sebrae mais próximo para lhe ajudar com seu plano de negócios e demais estratégias para o sucesso de seu empreendimento. Boa sorte!

    Decoração de Festas Infantis
    Salão de Beleza Infantil
FECHAR
Receba nosso documento em seu e-mail
Informe os dados abaixo e clique no botão “Enviar”.