Agronegócio

Voltar
  • Oportunidade de negócios

    É importante que se diga que o agronegócio por si só não é uma tendência. Mas então porque incluí-lo em um estudo de tendências? Em primeiro lugar, devido a sua importância para o desenvolvimento de Goiás e ao grande número de pequenos negócios existentes focados nele, espalhados por todo território goiano. Em segundo lugar, para apresentar aos pequenos produtores, em especial ao agricultor familiar, algumas tendências que envolvem o negócio rural.

    • Produtos orgânicos
      As mudanças nos padrões alimentares, em que a busca pela saúde e o bem-estar são valorizados, e o crescente interesse por opções que não agridam o meio ambiente, estimulam a cultura de produtos orgânicos. O consumidor, cada vez mais exigente, quer saber exatamente o que está comendo e busca opções sem aditivos como os agrotóxicos ou fertilizantes.
      Especialistas no assunto declaram que o mercado cresce em torno de 30% anualmente e acreditam ser uma boa opção para o pequeno produtor rural.
      Se o empreendedor pretende cultivar alimentos orgânicos, deve seguir alguns princípios e normas. Existem algumas certificações que garantem a procedência do produto.
      O empreendedor pode se juntar a outros e formar cooperativas de produtores, participar de feiras específicas, além de vender seu produto para mercados de diversos tamanhos. A exportação também é uma opção, já que o consumo de orgânicos no exterior já é bem mais consolidado. Quer saber mais sobre como cultivar o produto orgânico? O Sebrae tem o especialista para lhe ajudar.
    • Agricultura familiar na merenda escolar
      A Lei nº 11.947, sancionada em junho de 2009, determinando que no mínimo 30% da merenda escolar seja comprada diretamente de agricultores familiares, sem licitação, abre múltiplas possibilidades para o agricultor familiar.
      Para o empreendedor vender seu produto ele pode estar organizado em grupos formais (cooperativa ou associação da agricultura familiar com DAP jurídica) ou informais (agricultores e agricultoras familiares com DAP física, não organizados formalmente). As secretarias estaduais de Educação, prefeituras e escolas são responsáveis por realizar Chamada Pública, identificando quais os alimentos e a quantidade de cada um deles que deseja adquirir da agricultura familiar para a alimentação escolar.
    • Associativismo e Cooperativismo
      O associativismo e o cooperativismo são opções interessantes para o pequeno agricultor na tarefa de comercialização de seus produtos. Pode ser para ele uma estratégia, na medida em que melhora seu poder de competição.
      Quando ele se organiza em grupo ele consegue superar mais facilmente as barreiras para entrar no mercado. Ele passa a fazer melhores compras, melhora sua produção e vendas.
      Entre os diversos benefícios de se trabalhar em grupo estão a facilitação do transporte, a armazenagem, o beneficiamento, a industrialização e a venda da produção. Com o trabalho em conjunto é possível reduzir os custos e, assim, aumentar o poder de barganha dos produtores.
      A formação de associações e cooperativas é uma importante forma de unir forças para que os pequenos produtores possam escoar a produção de forma mais efetiva, reduzindo suas perdas.
    • 1Processo de urbanização
      Apesar de ser conhecido nacionalmente pela sua ruralidade, Goiás acompanha as tendências de urbanização nacional e 90,3% de seus habitantes residem na área urbana. Já é o 4º Estado no Ranking de Urbanização perdendo somente para São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília (Instituto Mauro Borges, 2012). Esse é um processo que vem acontecendo há anos devido, entre outros fatores, a substituição da mão de obra por máquinas e pela busca de melhores condições de vida pelo trabalhador na zona urbana.
    • 2Aumento do risco de escassez de água
      Previsões de um estudo, identificando as megatendências para 2030, apontam que aumentará a demanda de água em 58%, sendo a agricultura responsável pela maior parte desse aumento (82%) (Roland Berger Strategy Consultants).
    • 3Variação do clima
      A previsão é de aumento das emissões de CO2 em 38% até 2030, o que potencializa os efeitos de aquecimento global A mudança no clima terá impacto direto na agricultura, pois poderá agravar os períodos de estiagem ou de excesso de chuva. Condições climáticas desfavoráveis e mudanças no padrão de clima podem afetar adversamente a disponibilidade, a qualidade e o preço de commodities agrícolas e seus derivados (Roland Berger Strategy Consultants).
    • 4Tendência de consumo saudável
      A melhoria dos hábitos alimentares influencia diretamente a produção agrícola, considerando que a base dessa alimentação vem da fruticultura e a horticultura. Ainda, o consumo saudável está diretamente ligado à tendência “Saúde e Beleza”, já que uma de suas bases é a boa alimentação. Além disso, o consumo de produtos orgânicos tem obtido um crescimento de 30% ao ano.
    • 5Lei 11.947/2009 e o PNAE
      Com a aprovação da Lei nº 11.947/2009, ficou estabelecido que no mínimo 30% do valor destinado ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), deverá ser adquirido da produção agrícola familiar, sem intermediários e dispensando o processo licitatório. Esse fator influencia e estimula a sustentabilidade local.
    • 6Adensamento da cadeia produtiva
      De acordo com o IMB/Segplan-GO, na década de 2000 ocorreu uma mudança estrutural da economia goiana. Os investimentos industriais foram responsáveis pelo adensamento das cadeias produtivas do agronegócio e pela diversificação da estrutura produtiva. As indústrias de processamento de alimentos são grandes consumidoras de alimentos vindos diretamente da natureza para a composição de seu processo produtivo e elas podem proporcionar boas fontes de negócios para os pequenos produtores. Quando uma indústria desse tipo se instala em uma região, ela busca na proximidade, fornecedores que atendam seu nível de exigência.
    • 7Valorização da rastreabilidade
      Um dos preceitos do consumo exigente é a rastreabilidade utilizada como forma de segurança para confirmar a procedência, sua forma de cultivo, no caso de vegetais, em toda sua cadeia produtiva. Apesar de não ser uma prática muito comum no Brasil, as grandes redes varejistas já demandam produtos rastreados.
  • Você Sabia?
    A agricultura familiar é responsável pela produção de quase 70% dos alimentos consumidos pelos brasileiros, diariamente. São 70% do feijão; 87% da mandioca; 59% da produção de suínos; 58% da bovinocultura de leite; 46% do milho; 50% de aves e ovos; 34% do arroz (cartilha do ministério do desenvolvimento agrário – o encontro da agricultura familiar com a alimentação escolar).
    Fica a Dica!
    Você sabia que muitas pessoas deixam de comprar alimentos como repolho ou melancia no mercado porque eles são muito grandes? Algumas pessoas moram sozinhas, são preocupadas com o desperdício ou simplesmente não gostam de repetir o mesmo alimento por dias seguidos. O mesmo acontece em alguns locais onde as verduras são vendidas em pacotes embalados com grandes quantidades. Você poderá aumentar o consumo se oferecer porções menores, sem alterar o preço.
    • Uma maneira de se buscar melhores preços para um produto que tem pouca ou nenhuma diferenciação é buscar formas de agregar valor. É importante criar uma imagem que o diferencie dos demais. Crie valor para sua marca garantindo um produto de qualidade. A apresentação, a seleção, a embalagem, as informações contidas no rótulo, a forma de entrega, o pós-venda, são alguns dos atributos que você pode trabalhar.
    • Com a busca de hábitos mais saudáveis, cada vez mais presente na população, ela tende a ter mais abertura ao consumo de frutas e legumes. Entretanto, o consumidor, em sua maioria, ainda prefere alguns produtos em detrimento de outros, principalmente devido ao preço. Para estimular a venda de produtos mais variados e reduzir o impacto que o preço tem sobre eles, uma saída pode ser apresentar, no momento da compra, os benefícios à saúde que aquele produto proporciona. Você pode criar pequenos informativos a serem colocados junto aos alimentos, explicando seus benefícios. Receitas associadas aos produtos também podem ser utilizadas para agregar valor e estimular o aumento do consumo.
    • Lembra da tendência da praticidade e economia de tempo que falamos? Uma boa alternativa é oferecer produtos pré-lavados e picados, prontos para o consumo. É importante, porém, que você consiga que esses preços fiquem competitivos.
  • Idéias de Negócios

    Veja aqui algumas idéias de negócios com grande potencial para Goiás, conforme o Estudo de Tendências e Oportunidades de Negócios produzido pelo Sebrae.

    Para cada idéia serão apresentados conceitos e informações relativas a processo produtivo, mercado, marketing e vendas, canais de comercialização, estrutura, localização, equipamentos, tecnologia, necessidade de pessoal, custos e capital de giro, fonte de recursos, planejamento financeiro, legislação, cursos, eventos e sites com informações de interesse do empreendedor.

    Selecione e receba em seu e-mail ou envie à um amigo as idéias de negócios que lhe interessar.

    Lembre-se, decidindo em abrir a sua empresa ou desejando expandí-la, procure o Sebrae mais próximo para lhe ajudar com seu plano de negócios e demais estratégias para o sucesso de seu empreendimento. Boa sorte!

    Frutas do Cerrado e Derivados
FECHAR
Receba nosso documento em seu e-mail
Informe os dados abaixo e clique no botão “Enviar”.